7 de abril de 2015

NUDEZ DO DESEJO

 
Foto: Inna Kowalska
 
 

NUDEZ DO DESEJO

Percorres o meu corpo
sem rumo.
Sem Sol.
Sem Dó.
Sem pausa.

Reluzimos (in)discretos.
com os lábios acesos
na pele dos sentidos.

Fico sem corpo,
quando corro nas tuas mãos
como rio quente.
Mergulhada em seiva,
a rosa abre-se.
Espalha o perfume,
essências afrodisíacas.

Gememos juntos
na urgência da carne
no ponto certo
do orgasmo.

Algo te afoga.
Algo me rompe.
Já.

Enterramos as Palavras.
Nada falo.
Tudo se eleva.
Torna-se mais visível no grito
hibernado na nudez
do desejo.

Ana Pereira