24 de julho de 2015

AMO-TE


Amo-te



Palavra que reaprendi,

preso ao teu sorriso gaiato

entreguei-te o meu coração,
fiz-te sua dona, 
menina-mulher
das terras de bruma...

Da bruma chegaste até mim 
e Iluminaste 
com o sol do teu rosto
a minha solidão, 
rompendo brumas,
quebrando vontades, 
e fazendo de mim, 
novamente,
aquele adolescente
de que tinha saudades...

Da bruma
que me habituei a gostar...
a bruma
que caldeia gentes 
e as torna
Indomáveis 
na sua vontade...

Hamilton Ramos Afonso