25 de julho de 2015

RESPIRO-TE...


Respiro-te...


Respiro-te por todos os poros do teu corpo

com a sofreguidão de quem precisa de ter
os pulmões cheios de ar...

Os teus lábios de mel 
oferecidos na ânsia do deleite,
em beijo salivado,
que duas línguas sôfregas misturam 
dando a conhecer a mistura de gostos, 
bailando freneticamente
no salão de duas bocas 
que se oferecem em delíquo...

Os sentidos, todos em ritmo cadenciado,
unidos com uma só missão,
a de amar e desfrutar
dos corpos molhados do suor
que sai pelos poros abertos
nas duas peles que se harmonizam
e o sentir latejante do sangue
que corre nas veias e artérias 
bombeado por dois corações
que se pertencem e batem em uníssono...

Respiro-te, meu amor pelo teu corpo...
...e pelo meu respirar respiramos os dois
e celebramos a vida.

Hamilton Ramos Afonso