16 de novembro de 2015

AO LUAR




AO LUAR 


Cálida noite, 
de lua cheia a convidar
a um passeio pela praia, 
areia molhada,
espuma a beijar-nos os pés
ritmados em lenta valsa 
de dois corpos 
que caminham lado a lado
enlaçados,pelos braços
a rodear a cintura e embalados
pela suave musica
da rebentação das ondas, 
embebendo a ávida areia...

Sentámo-nos 
e demos livre pulsão
à ânsia de dois corpos,
em se amarem, 
em se entregarem
lentamente embalados
pelo chamado do marulhar das ondas, 
que suavemente nos embalava...

Então o meu corpo feito arco, 
arrancou ao teu gemidos de violino, 
tangendo as tuas cordas tensas,
lentamente no inicio
e em tropel no final...

Por fim as ondas
beijavam-nos os pés ainda juntos 
e a lua,
essa iluminava em foco, 
o palco onde tínhamos exibido
a sinfonia do nosso amor...

Hamilton Ramos Afonso