2 de novembro de 2015

UMA NOITE NÃO CHEGA


Foto: Morfi Jang & Iwona Aleksandrowicz


UMA NOITE NÃO CHEGA


Fizeste de mim
Palavra
e por isso,
quiseste-me nua
para me vestir de insónia
e sentir.

Enquanto o dia
dormia,
levei o meu corpo
desnudo
à luz do teu auscultar.

Levava o ventre inquieto
e a boca com fome.

Enlouqueceste-me,
quando soube que
não tinha cura,
com o peito nas tuas mãos. 

Fitei-te com as cicatrizes
nos olhos
e viste uma beleza 
que não há. 

Perturbaste-me 
com o teu toque
e mergulhamos bem fundo
no inconsciente
da mente.

Libertamos o nosso fogo.
O chão ficou em cinza.
A minha voz
ecoou no silêncio
da tua boca. 

Respiraste o meu grito,
quando me mataste.

Agora habito as tuas palavras
todos os dias,
pois uma noite não chega. 

Ana Pereira