13 de junho de 2016

EU TE AMO





EU TE AMO


Hoje queria apenas ser caça,
entregar as ânsias secretas,
matar estas dores inquietas,
permitir-me estar bem lassa.

Hoje não queria a mordaça,
nada de normas nem metas,
esquecer de rimas e poetas,
tornar-me só fogo e fumaça.

Ah! Me abraça tremendo desatino,
um querer tão forte, tão assassino,
que - de meu menino - eu te chamo.

E no imo, minhas forças me deixam
pois, no coração, letras se enfeixam,
gritando claramente um "eu te amo"!

Silvia Regina Costa Lima