15 de junho de 2016

ORALIDADE (2)




Oralidade (2)


O compasso das pernas na máxima amplitude
que a flexibilidade de um corpo sequioso de prazer lhe dá, 
deixa à vista a rosa resguardada no vértice do ângulo de abertura,
onde, um colibri sequioso recolhe o almiscarado néctar,
misturando-o e envolvendo-o com a saliva
da língua transformada em hábil e teso bico, 
recolector...