2 de novembro de 2016

JARDIM DOS MEUS BRAÇOS




Jardim dos meus braços


Do jardim dos meu braços
nasce e germina um amor perfeito
sempre que docemente descansas a
tua cabeça, recostando-a no meu peito

Os afagos de que o desejo se alimenta
despertam a vontade do beijo que sofregamente nos damos, 
perlando os nossos rostos com gotículas de sal
enquanto as nossas roupas lentamente juncam o chão.

Misturas de cheiros, de suor de dois corpos em êxtase,
levam ao clímax ansiado em espasmos síncronos de músculos 
e mentes em lassidão prazerosa e então abandonas-te dolente
e satisfeita no jardim dos meus braços.

Hamilton Ramos Afonso