16 de março de 2017

ESPAÇO


Foto: Rosário Pereira 


ESPAÇO


Ando sempre nas alturas.
Por isso,
não te chego aos calcanhares.
Quase subo pelas paredes
com as pernas cruzadas.

Toma o meu corpo.
Tem um cuidado intensivo
com ele.

Na boca, as palavras
trazem razão
mas depõem contra
o coração.

Os verbos irregulares
trazem ações imprevisíveis
dentro de mim.

A urgência dos olhos,
a mensagem nos lábios
que traz a palavra indecente,
como se entrasses
pela minha roupa a dentro.

E o coração bate sob a blusa
ardente,
sem saber bem o que sente.

Estendo as pernas
e aguardo o toque
da origem do Mundo.

Um espaço para permanecer.

Ana Pereira