13 de julho de 2019

ENCANTADORA A VIDA QUE ME DESTE


Arte de Eliseu Visconti


“ENCANTADORA A VIDA QUE ME DESTE”


Tens canções na boca e beijos no olhar...
Noites de Lua estática, serena, dormente,
Assim tu me inspiraste sob a luz do luar,
Em que nos beijamos apaixonadamente!

Alegres, inebriantes, os beijos de amor 
São como harpejos da boca de uma flor;
Ao pé de mim o teu corpo é lírio aberto
Com graça, sorriso e gosto de um afeto;

Que encantadora foi a vida que me deste!
Por ti saboreei o mel, como tu o quiseste,
Não me esqueço das emoções que pinto!

Sou sonho e lenda! Tu és o meu perfume
Com um sorriso faiscante como o lume;
Fecho o soneto onde escrevi o que sinto!

© Alfredo Costa Pereira

COISAS DO AMOR



© Joaquim Jorge de Oliveira

https://www.facebook.com/joaquimjorge.oliveira

O AMOR É ASSIM...


Imagem: Inspirations

O amor é assim…


Sinto que um dia te abrirás
E me farás subir ao céu
Em teu corpo me satisfarás
E para sempre me sentirás
E me darás o que Deus te deu

Vejo-te agarrada a esse cordão
Que prende o teu belo peito
Um dia cairei nele com paixão
Para tua grande satisfação
E em ti farei amor a preceito

Abrir-te-ás pois dessa maneira
Farás tudo por me amar
Dirás que queres essa brincadeira
E ultrapassarás a eterna barreira
De quem é virgem e se quer dar

E depois de te tornares mulher
Vais aprender a viver como outras
É isso que toda a mulher quer
Para uma sensualidade de prazer
E, de vez em quando ficarem loucas

Bendita é essa loucura
Que faz a mulher ser assim
No amor feito com desenvoltura
Acaba-se com toda a agrura
E tu acabas por ser um jardim

Jardim onde vou semear
Flores com toda a virtude
Tu serás sempre o meu amar
Essa flor que se me quer dar
Neste amor a que se alude

DESEJO OCULTO



© Lúcia Ribeiro

23 de abril de 2019

VOU PLANTAR UMA ROSA NO TEU PEITO


Pintura de Carolinna Drumonnt


“VOU PLANTAR UMA ROSA NO TEU PEITO”


Nesta alta noite luminosa, irei dizer-te ao teu leito:
“Quero plantar uma rosa feita de amor ao teu peito!”
Mais bela entre as mais belas, nos orvalhos ao luar
Virá regá-la as estrelas, nunca ao sol há-de murchar!

Da minha alma o sol és tu, felicidade que me provoca!
Amo-te; eis tudo. E o resto que me importa?
O meu peito de te amar nunca mais se cansa
E no teu amor por mim, tenho toda a confiança!

Foram tantas as lágrimas que choraste e eu chorei,
Quais foram as mais santas, não sabes, nem eu sei!
Passou o tempo e ficou o nosso amor que renasceu…

Escreve, para que eu escreva meu nome junto ao teu!
Como as ervas dos caminhos que se pisam e dão flor
Transformamos angústia em amor e em beijos, a dor!

© Alfredo Costa Pereira