30 de setembro de 2017

LINGUAGEM DAS ALMAS




Linguagem das Almas


Depois de fazermos amor,
Ficamos a contemplar,
Os nossos corpos nus, cujo calor,
Ainda na nossa pele reluz na forma de amar.

Todos os músculos do teu ser,
Vibra perante o meu olhar,
E a sua mensagem quer dizer,
Que mais amor me queres dar.

Eu aceito o desafio,
Pois nunca me canso de ti,
Nem do teu aroma fugidio,
Nem do teu sexo envolto em organdi.

Talvez seja uma estranha profecia,
O certo é que me tens aqui,
Um sorriso, uma eterna magia,
Mutação perpétua dum dom que nasceu em ti.

Depois de fazermos amor,
Repouso amorosa no teu peito,
Nele não há lugar à dor,
Há sim à linguagem das almas ao teu jeito.

Áurea Justo

In Folha De Papiro Perfumada

https://www.facebook.com/autora.aureajusto

18 de setembro de 2017

GOSTO DE MÚSICA CLÁSSICA




Johannes Brahms e o Amor...

Gosto de Música Clássica


De toda a música Clássica, 
como hino à arte de entrelaçar notas musicais,
de modo a fazer uma simbiose de vários instrumentos
e magistralmente
fazer acontecer Música...

Brahms, é um dos meus compositores de Culto e 
na sua genialidade vejo sempre, 
ao escutar os seus concertos para piano, 
odes ao Amor.

No primeiro andamento, 
chegamos a sentir a tortura,
a dor física
que conhecemos no amor físico, 
com a ânsia e a sofreguidão 
de fundir o nosso corpo com o da pessoa amada,
em movimentos vibrantes, 
que os grandes interpretes de Brahms 
executam com mestria, 
volúpia e uma intensidade tão vibrante,
como no amor carnal...

A transição para os outros andamentos,
doces, serenos e envoltos em grande ternura,
têm igual correspondência no amor entre dois corpos,
apôs o êxtase e a dádiva total, 
sobra a serenidade, 
a doçura, 
o abandono ao langor próprio da felicidade...

Por isso quando preciso de calma e tranquilidade 
e na ausência da pessoa amada,
ouço Brahms...
sempre, 
com o deleite que sinto, 
como se estivesse a fazer amor...

10 de setembro de 2017

AINDA TER TEMPO DE SONHAR MEU AMOR


Imagem - ARABE§QUES 


AINDA TER TEMPO DE SONHAR MEU AMOR


Há um aroma que te chama de amor.
O vento tem o cheiro de canela 
Que se degusta no sabor de um beijo
Demorado ao silêncio da janela.

Há vida pelo que ainda sei respirar.
O coração tem largas vistas pelo teu olhar
Que se difundem em baladas de uma especiaria
Refinada pelo antro da imaginação.

Há um amor que ainda é recordação.
A alma tem asas aladas à tua poesia
Que se perfumam na imagética que desejo
Ainda ter tempo de sonhar meu amor.

© Ró Mar

6 de setembro de 2017

ESSES TEUS CABELOS NEGROS


 art by Claudio Tosi - Gardenia by Gardenia 


Esses teus cabelos negros


Esses teus cabelos negros
São da cor do azeviche
São tão negros, tão negros
Dão para sonhar com um fetiche

Esses teus cabelos negros
São da cor do alcatrão
São tão negros, tão negros
Que me criam uma ilusão

Esses teus cabelos negros
Que eu gosto de ver em ti
São tão negros, tão negros
São a beleza que eu senti

Esses teus cabelos negros
Que eu gosto tanto de olhar
São tão negros, tão negros
São a negrura do meu amar

Esses teus cabelos negros
Que encobrem uma tes tão bela
São tão negros, tão negros
Que eu pergunto onde está ela

E tu que és essa beleza
Encoberta por cabelos negros
És bela e és fruto da natureza
E de te ver os homens ficam negros

E é nessa negritude
Que eu homem também te vejo
Fico negro com a tua virtude
E mais negro se te der um beijo

Armindo Loureiro