31 de maio de 2017

SOBRAM-ME OS GESTOS...




SOBRAM-ME OS GESTOS...


Já me faltam as palavras...
para te dar notícias do meu amor
gastas que estão na sua exiguidade
o verbo exaurido de tanto o usar
adjectivos esgotados para o quantificar

Ficam-me os gestos
tão mais eloquentes
as mãos para te acariciar
os braços para te acolher suavemente
cabeça encostada ao meu peito
corpos frementes de desejo
alapados abandonando-se ao doce langor
mistura de desejo e bem estar
lábios que se procuram e desfloram
na volúpia do beijo salivado

A ternura suprema de descansar
a cabeça no teu colo
os teus delicados dedos 
em volúpia acariciando-me o rosto

Faltam-me as palavras para te confessar amor
mas porque usar as gastas e repetidas
palavras se os gestos inesgotáveis
são bem mais eloquentes... 

 Hamilton Ramos Afonso

1 de abril de 2017

HOJE QUERIA SOMENTE




HOJE QUERIA SOMENTE


hoje queria somente ter o encontro permanente com o teu corpo
a liberdade de uma respiração profunda e permanecer em ti para sempre
deitada nas sombras das nuvens e voar com a minha mente ausente só sonhar, sonho permanente
onde pudesse caminhar correr e permanecer como tinta que nem saisse com diluente
somente ficar a escutar teu bater de coração urgente, troteado apressado de quem vive a liberda... de presente
nas asas de um pássaro no rastear de uma víbora nas areias desenhadas nossas peugadas
no teu chão ficar completamente como se nada mais existisse e fosse tudo da gente
uma gota de água doce delimitada por água salgada, teu corpo

16 de março de 2017

SINTO O TEU CORAÇÃO, TÃO ATENTO...




Sinto o teu coração, tão atento...


Diz-me, sim diz-me
Que música ele escuta,
Que bailado sensual o encanta,
Que palavras doces o fazem viajar
Que sentimento o faz sonhar!

Quero perceber 
o que se passa na tua alma.
Cantar a canção 
que te tira toda a tua calma.
Eu sei, 
que é outro o mar em que navegas.
Mas tu sabes 
que não há limites para sonhar!

Não estou a cobrar 
o preço de nenhuma promessa.
Só que és tu a ilusão, 
que na minha vida se atravessa!
É teu o perfume 
que inalo nas ruas por onde caminho.
És tu a ave 
que em sonhos poisa no meu ninho.

E as tuas palavras 
acordam uma paixão esquecida.
O teu beijo escreve 
palavras no meu corpo adormecido.
E eu aprendo a amar 
e a ver que a vida só faz sentido
Se o coração bater por amor...

Angela Caboz

ESPAÇO


Foto: Rosário Pereira 


ESPAÇO


Ando sempre nas alturas.
Por isso,
não te chego aos calcanhares.
Quase subo pelas paredes
com as pernas cruzadas.

Toma o meu corpo.
Tem um cuidado intensivo
com ele.

Na boca, as palavras
trazem razão
mas depõem contra
o coração.

Os verbos irregulares
trazem ações imprevisíveis
dentro de mim.

A urgência dos olhos,
a mensagem nos lábios
que traz a palavra indecente,
como se entrasses
pela minha roupa a dentro.

E o coração bate sob a blusa
ardente,
sem saber bem o que sente.

Estendo as pernas
e aguardo o toque
da origem do Mundo.

Um espaço para permanecer.

Ana Pereira