30 de junho de 2015

QUERIDA ÉS LINDA E MAIS BONITA FICAS QUANDO...



Imagem – sensualarte - Steve Hanks 



QUERIDA ÉS LINDA E MAIS BONITA FICAS QUANDO…


Querida és linda e mais bonita 
Ficas quando me ajoelho a teus pés 
E em olhares te toco o tornozelo
Te defino esticando o braço em dedos de zelo
Encolheste toda e eu como te sinto...espremo-te
Esse labirinto de prazeres incontroláveis
E entranho-me em descobertas insaciáveis
Encontro-te esticando o braço em dedos de zelo
Gemeste toda e eu como te sinto...aperto-te
Esses frutos rubros de desejo
E tu sorris pelo mais terno beijo.

Querida és linda e mais bonita
Ficas quando te dedilho de lés-a-lés
Assim minha boca toca o céu do teu olhar
E eu como te sinto...em ti quero amar.

® RÓ MAR

A TUA BOCA...

 
Imagem - autor desconhecido


A TUA BOCA...


A tua boca, 
minha tentação
quando
olhando teu rosto
se escancara 
num sorriso, 
naquele gaiato sorriso 
com que me trazes
enfeitiçado…

Duas tentadoras gomas
franqueiam-me o caminho,
para o seu interior, 
transformando-a 
no salão de baile
onde nossas línguas, 
traquinas e irreverentes,
dançam
a valsa do amor…

Hamilton Ramos Afonso

27 de junho de 2015

NA MINHA CAMA COM ELA...


Imagem - sensualidade


Na minha cama com ela…


Ali nus ambos deitados
 Os dois mais que amados
 Sem de nada querer saber
 Ambos tão afogueados
 Nos calores assim amados
 Mas que grande o seu prazer

Nada de dormir
 Tal era o seu sentir
 Sobre lençóis tão sedosos
 Depois do amor
 Ainda com algum calor
 Estavam ambos amorosos

Eram resquícios da noite
 Em que ele foi mais afoite
 Para lhe dar o seu saber
 Brincou com os seus dedos
 E lhe tirou todos os medos
 No silêncio do seu prazer

Procurou o seu seio
 Fruto de todo o paleio
 E lhe deu uns apertões
 Depois desceu mais abaixo
 No triângulo fez o encaixo
 Nesse fruto de todos os tesões

E até ela lhe suplicou
 Pois do seu acto assim gostou
 Para ter outra erecção
 E ele de tão contente
 Deu-lhe tudo de presente
 E ela agradeceu sua paixão

Dando-lhe beijos de mel
 Por toda a sua pele
 Que o tornou a levantar
 E se assim continuasse
 E o amor não mais parasse
 O que seria do seu gostar?

Armindo Loureiro

EROTICAMENTE TUA


Imagem - Sensuality in Art



EROTICAMENTE TUA


O corpo dança em véus de vento rubro ao luar…
Os mais belos instintos sobrevoam no olhar;
Os mais cálidos desejos ruborizam as faces;
Os mais ardentes ensejos perpetuam os lábios.

A alma voa ao infinito no escaldante sapatear,
Largos passos de magia ruborizam o ar
Que se acende à labareda, clímaxes
Do coração desnorteado pelos cios.

O coração…o compasso que se agita no amar,
Compulsivas pulsações exaltam o sôfrego,
Desejo de ser tua…em pleno estado de aconchego
Se ramificam os desvarios pelo juncoso arfar.

São lufadas de ar fresco de aroma a cerejas
Que trazem no ventre a magia da agreste labareda;
Os mais nobres sentimentos…eroticamente tua…a alameda
Que se escorre no audaz e frutífero sumo, néctar que desejas.

® RÓ MAR

26 de junho de 2015

FALA-ME DE TI...


Imagem - Antonio Sarbossa - Sensuality in Art


Fala-me de ti…


Quero ver meu corpo a falar
Que diga qual é o seu sentimento
Quando o teu corpo estiver a amar
Que não silencie esse momento
Os lábios poderão assim dizer
O que o interior teima em calar
Podes crer amor, fazê-lo é um prazer
Pelo menos para quem vos sabe amar
Minhas mãos que conhecem tuas curvas
Teimam em não te querer reconhecer
Mas meu olhar nas suas vistas turvas
Fazem as tuas curvas o melhor do seu saber
Molho-te com os fluidos do pensamento
Molho-te de uma forma bem diferente
E tu achas-me no meio desse tormento
Como aquele que te faz ser contente
Jamais o frio te penetrará
Mesmo que julgues que eu de ti me rio
Porque o calor dos corpos acontecerá
E acabará com todo esse teu frio
Teu corpo arde pela chama do meu
Num silêncio bastante abrasador
Pedes-me para te levar a esse céu
Onde abunda o meu amor!
Queres-me em ti sempre presente
E eu te digo que o farei
Gosto de te ver contente
Nessa atitude que só eu sei…

Armindo Loureiro


IDA E (RE)VOLTA

 
Foto: A. Brito



IDA E (RE)VOLTA


Partirei quando vir
o teu perfil como
caravela dourada
e a tua pele entranhada
de perfume que não há.

Partirei quando a terra
de nevoeiro
ficar saturada e conseguires
escrever-me ecos compassados
de silêncios.

Partirei na inexistência de mares
bocais
nunca antes navegados.

Mas haverá sempre ida e uma (re)volta!

Regressarei na barca da estrofe
com remos de
versos
canelados e apimentados
em sentido proibido.

Regressarei quando caírem
as primeiras sílabas
na espuma branca
do mar de poesia.

Regressarei quando me vires
além do poema
e me tornares voz
na corda (vocal)
onde me fazes baloiçar.

Vestidos de fogo,
iremos enxugar as palavras
naufragadas
e guardadas em gavetas orvalhadas.

No regresso abriremos 
essas arcas proibidas
cobertas pela verdura
dos meus olhos.

Regressarei morta por
despir e por amar.

Apenas para ti
abrirei a rosa cálida,
plena e húmida
que trago.

Fundir-me-ei contigo
quando recolheres a luz
que imana do meu corpo.

Abrirei as comportas
do peito
e dos nossos lábios entreabertos
deixaremos partir
a língua com o pecado
a bordo.

Ana Pereira
 

24 de junho de 2015

SONHEI-TE


Arte: Tomazs Rut


SONHEI-TE


Foi tão real!...

Por uns momentos senti-te,
nos meus braços, em minha cama
o perfume da tua pele
impregnando os lençóis, unindo-se
ao meu cheiro...

O beijo que eu te dei, pleno de saliva
quente, doce e sensual, fez-me
arder de desejo, e despertou a
urgência da descoberta do teu corpo

Visitei, com as minhas mãos nuas, em
gestos lentos e sensuais o relevo
do teu peito, tomando-o
em gestos serenos e macios, sentindo a
frescura de veludo da tua pele

Puxei, com ternura o teu corpo
para o meu, e tu ternamente abriste
a tua fonte da vida, ao paroxismo
de dois corpos que se amam, com paixão,
até que ambos atingimos o clímax, jorrando em ti a
minha seiva até à ultima gota

Acordei, e só então reparei que não passou
de um sonho.

A distância continua a colocar em nós
uma cruel barreira à necessidade de
nos cumprirmos, de em nós
fazermos vida...

Hamilton  Ramos Afonso

 

19 de junho de 2015

ENTREGUE AOS BICHOS…ATÉ QUE A TERRA A COMA


 Imagem - Sensuality in Art 



ENTREGUE AOS BICHOS…ATÉ QUE A TERRA A COMA


Pelo corpo trepida o ritual carnal...
As pernas abrem-se de par em par
E eis-a jorrar por terra infernal...
Entregue aos bichos...mananciais de cio!

Reentram-na até às entranhas e sugam
A sua réstia de vida sem compaixão;
O sol vai-se pondo pelo corpo hirto
E eis-a regressando de novo à vida!

Vida que tem a noite toda à frente
E a madrugada inserta pelo traseiro;
E eis-a almiscarada por terra amaldiçoada...
Entregue à sua sorte serpenteia-se.

A manhã veio mais tarde...já meio-dia
E o sol promete...rescalda-lhe os seios;
Boquiaberta mergulha-se ao ribeiro
Próximo...que assim mata tais desejos.

O corpo perdeu-se para sempre d’alma
No dia primeiro...encanceram-lhe o coração.
Que réstia de vida...ostentar prazeres alheios...
Entregue aos bichos...até que a terra a coma!

® RÓ MAR

14 de junho de 2015

VISÃO DE UM OCEANO COM ASAS


Imagem - autor desconhecido


VISÃO DE UM OCEANO COM ASAS


A nudez despe-se
de um corpo perfumado
de beijos
com sabor a suspiros
e olhos de desejo
num silêncio desejado
Visão de um oceano
com asas 
num abraço apertado
estendido num espaço
entre curvas e contracurvas
na viagem apetecível
da nudez que se apaga!!

Manuela Clérigo

CANTIGA NA RUA


Foto: Haleh Bryan 

CANTIGA NA RUA 


Ai Deus,
que não posso falar (-te).
Pode a alma cantar
e tu poderás escutar.

Bem segura e
sem formosura,
vou descendo a avenida
com a guarida
de desejos
e um molho de rosas
para os teus olhos.
Ai Deus, triste moça sou!

Abraso a neve
e ninguém se atreve a 
soltar-me os cabelos
pois o que tenho
está na ponta dos teus dedos,
e não no caos.
Na ponta da língua, 
hálito de vontade.
Ai Deus, que sou feiticeira!

Vestida de verso
fiado.
E tu olhas para mim
e o vestido fica rasgado.
Quero que o ventre vazio
fique habitado por ti.
Ai Deus, que sou pedinte.

Não semeies os sonhos
nos verdades campos.
Anda descobrir os vales.
Vem encontrar-me.
Ai Deus, que estou perdida!

Fico com as pernas boquiabertas
só de te querer
pois sabes dos mundos
presos à minha cintura. 
Libertas o perfume liquido
da ternura
da rosa que te trago.
Ai Deus, que faço eu?

Foge o grito açucarado
diluído no gemido
aguado da existência.
Ai Deus, que é de mim?

Piso a terra
descalça para a vida.
Não sei o que me prende
mas há algo em mim se enterra.
Disso não falo!
Ai de mim, ré sou!

Perdoai-me Deus
por tão enleada
estar de mim.
Não é pecado matar a fome
de quem ainda não comeu.
Devo apaziguar o ávido gineceu. 

Sem cantigas,
vou descalça,
formosa e segura
de te poder encontrar. 

 Ana Pereira

CORAÇÕES EM SEUS AFAGOS



Imagem - Bellissime Immagini 


CORAÇÕES EM SEUS AFAGOS


Meu mais que tudo aceita um abraço,
Meu, de quem te ama incondicionalmente…
Olha-me nos olhos e diz-me o que sente
O teu coração, mas, não por palavras!

Quero que segredes ao ouvido esse sentir…
Que tuas mãos desembaracem silabas,
Que o teu corpo ilumine nossas almas…
Que teu coração seja o eterno braço!

Meu mais que tudo sonha com um beijo,
Meu, aquele que te leva, ao céu, lá à lua…
Adormecer nos teus braços é desejo
Que não é só meu, é nosso, que perpetua!

Quero-te amar sempre porque te amo…
Que teu amor venha outra vez e a seguir...
Que nossas bocas sejam a labareda
Que pauta lindos sustenidos à vida!

Meu mais que tudo aceita o que declamo...
Meu é, e de quem mais poderia ser! Uns versos,
Apenas, que cruzam as nossas almas
E enleiam corações em seus afagos.

® RÓ MAR