23 de setembro de 2018

DESEJOS DO CORAÇÃO!


Imagem: Bellissime Immagini


Desejos do coração!


Amor é uma distância que vive
No nosso coração
Ele bate, treme e chama
E o nosso corpo, sente arrepios
E clama 
De saudade.
Vem apenas, por um só momento
Precisa de sentir o calor que não tem,
As mãos que não tocam,
E o beijo que tanto tarda,
E o desejo, chega, chega...
E questiona!
Porque não vens estou só,
Envolta no meu pensamento,
Onde me acolhe esta penumbra,
Que nos resguarda do sol
Que é impossível não sentir.
Desejar.
Esqueço que sou gente
E meu corpo dormente
Não tem sentido,
És a luz que me faz viver
Quando julgo já ter morrido!

OUTONANDO...


19 de setembro de 2018

UM BEIJO ARDENTE


Pintura de Renoir


UM BEIJO ARDENTE


Os beijos que nos unem 
São como os elos de uma corrente,
Pungente
Que a ti me prendem, 
Como a mais ninguém; 
Amor, como tu me prendes bem!

E ninguém quebra esta corrente
Porque ela é mesmo de tal sorte,
Que cada elo seu, rangente,
Só se quebra com a nossa morte!

E passeando pelo meio da folhagem quente,
Vimos um ganso sobre um lago algente,
Que gozava o fresco, bem longe da gente!

E mais um beijo longo sibilou no espaço;

E foi durante o sonho daquele beijo ardente 
Apertado num abraço,
Que ouvimos os trilos pelo ar sereno, 
Das aves em voo, num canto ameno!

© Alfredo Costa Pereira

15 de setembro de 2018

AINDA QUE SEJA OUTONO EM MIM


Imagem: Zzig.


AINDA QUE SEJA OUTONO EM MIM


Senti a manhã aplaudindo o coração
No esmero que cozinhaste p´ra mim,
Ainda que seja outono em mim,
Há no paladar do teu cozinhado
A certeza de se ser bem amado.

Senti o teu olhar bem regalado
No meu jeito de degustar a uva madura,
O que me fez provar mais da tua doçura,
Ainda que seja outono em mim
Há no olhar o doce prazer d´ amar.

Senti a minha vida a renovar
Na folha orvalhada d´ uma lírica estação
Que colheste p´ra apurar a paixão,
Ainda que seja outono em mim
Há presente bem temperado p´lo ar.

© Ró Mar

12 de setembro de 2018

A TELA


Pintura: Ivan Slavinssky


A Tela 


Desenhei-te seara dourada,
de estrelas do céu, com favos de mel, 
em traço fino. 
Pincelei de verde suave tuas colinas 
e de rosa o equador dos sentidos. 
Carreguei de cor o monte de Vénus, 
avivando a fonte da vida 
em aberta concha de mar.

Retoquei toda a tela, com toque leve,
pensando-a como altar. 
Pintei-lhe rosas, malmequeres,
por entre ramos, a que quero subir
para te amar!

© Acácio Costa

6 de setembro de 2018

DESEJO




DESEJO 


Na solitária madrugada das minhas insónias
Sonho-te aqui 
Imagino o teu toque, o teu corpo, o teu cheiro
O teu perfume entranhado em mim
O meu corpo semi nu, arfante de desejo
A minha boca entreaberta, espera o roçar dos teus lábios 
Num longo beijo 
Sinto o cheiro quente do teu desejo 
Quero enlouquecer-te de prazer
Mergulhar na tua pele e com a língua percorrer cada poro
Possuir o teu corpo por inteiro
Num prazer que percorre os nossos corpos suados
Ultrapassando todos os limites e barreiras 
Ao som dos teus gemidos 
Delirando em movimentos contínuos 
Sentir a tua respiração ofegante
Minha carne na tua carne 
No desejo deste meu corpo...
Que se faz teu!

© Lurdes Rebelo

A HORA DA TERNURA


Pintura de Renoir


A HORA DA TERNURA


Ocaso... é quase a hora da saudade. Nasce a noite da própria claridade que ainda se estende por aí fora. Um sino na distância dita a hora do silêncio, do mar e das estrelas. As nuvens brancas são velas a navegar com a brisa do nosso amor, apenas com um sopro suave, enternecedor. O mar reúne as vozes de mil almas, na sua voz funda sem sobressalto! Ouvindo-o, nem nos apetece falar alto. É durante todas estas horas calmas, que surgem os belos sonhos do nosso agrado amor, aqui contigo a meu lado! Como é belo o adormecer dos jardins. Como se enlaçam glicínias e jasmins, na paz noturna e enamorada das flores. Ficam da mesma cor, todas as cores! O clarão do luar ilumina os caminhos, e perto do céu já dormem os passarinhos. Em passos de larápio que se acautela, a noite vai descendo azul e misteriosa. 
Amor: fechou-se agora a última janela, adormeceu connosco a derradeira rosa!

© Alfredo Costa Pereira

4 de setembro de 2018

DESENHA-ME... LUA A MARTE


Arte: Open Art


Desenha-me... Lua a Marte


Desenha-me...
Pelos teus dedos macios
Flores às cores de borboleta;
Entrelaça as estrelas nos meus cabelos
E veste-me... a alma de rabiscos.

Desenha-me...
Ao Universo de tons ébrios;
Beija-me... no cálice da paleta
Sorvendo singelos
E desnuda-me... o coração nos obeliscos.

Desenha-me...
No jeito que só tu sabes Arte,
Desenha-me... Lua a Marte.

© Ró Mar

2 de setembro de 2018

AMOR SUBLIME AMOR




AMOR SUBLIME AMOR


Amor, sublime amor, que na longura,
Teimas continuar em chama ardente,
Porque és um sentimento que perdura,
Serás sublime amor eternamente.

Amor, sublime amor, és alma pura,
Jamais poderás ser amor ausente,
Paixão que vive em nós e não tem cura,
Amor entre os amores, persistente.

Podem passar mil anos e até mais,
Que este grande amor de encantos tais,
Sempre se vai erguer como alvorada.

Tem a bênção de Deus, que tudo cria,
Por isso eu digo amor com alegria,
Serás, por todo o sempre, a minha amada!

1 de setembro de 2018

COMO SE EM TEU CORPO




COMO SE EM TEU CORPO


Em meus devaneios eu queimei paixões,
como se o meu corpo fosse fogo posto 
p’los teus olhos garços, cachos temporões
e os meus lábios rubros fossem vinho e mosto.

Como se em teu corpo houvesse prisões,
Que acorrentassem um sorriso exposto.
Como se ar e terra tivessem razões,
p’ra orgias fogosas, em pleno Agosto.

Como se o meu corpo fosse mar e vento,
teu meigo sorriso fosse o meu sustento
nas brisas que passam roçando o teu rosto. 

Como se este cante que trago comigo,
E a tua lembrança fossem meu castigo,
eternas paixões de que tanto gosto.

© Manuel Manços

SEM TI...


 Imagem: Google


Sem ti...


Chega a noite
Admiro o luar 
e penso em ti!

Sem ti...
falta tudo! 
Tudo é diferente.
as coisas tem um gosto amargo,
as flores não são tão bonitas
nem têm o mesmo perfume.
Sem ti não sei voar
e há tanta escuridão...

Basta uma palavra tua,
um carinho, 
um beijo
para tudo clarear!
Quando sinto sintonia em nós
há uma luz que ilumina tudo, 
as nuvens negras desaparecem
e o sol brilha no meu coração! 
Contigo...
fico mais liberta
para a alegria e para a vida!
Preciso do teu sorriso 
e de um beijo teu! 

QUERO-TE...


 Imagem: Bellissime Immagini 


Quero-te...


Ousei um dia
Olhar bem para ti
E nessa bela ousadia
Algo belo eu colhi

Jamais poderia imaginar
A beleza do teu interior
Agora sei como amar
E te dar o meu amor

Quero em ti adormecer
Não importa o lugar
Apenas colher o prazer
De quem sabe assim amar

Faço-me este desafio
Espero não leves a mal
Do amor jamais me rio
A ele não há nada igual

Tenho-te na minha mente
Como coisa do outro mundo
É assim que minh’alma sente
Este amor do mais profundo

És esse Sol escaldante
Que eu sinto todo em mim
És a beleza dum instante
E eu gosto que seja assim

A MAIS LINDA CANÇÃO DE AMOR


Imagem- Bellissime Immagini


A MAIS LINDA CANÇÃO DE AMOR


No regaço só trago uma minúscula natureza...
Malmequeres, folhas poucas de oliveira acesa,
Umas espigas, as flores de singela beleza,
Que ao meu amor quero dar com certeza.

O dia dos namorados é um dia como outro qualquer,
O meu amado é amor sempre, do seu lado quero viver
Desde o nascer até ao pôr de sol, no seu bem-quer,
Ao seu abraço tão quero espreguiçar o meu ser.

No meu coração trago o sonho dos universos...
Em beijos de mel quero brindar meu amor...
Ao seu olhar colho o mais tenro dos versos
Que é com certeza a mais linda canção de amor.

© Ró Mar

31 de agosto de 2018

A VALSA DOS SENTIMENTOS


Arte de Claude Monet


A VALSA DOS SENTIMENTOS


O teu corpo espelhava naquela água prateada, 
Juntamente com nimbos de algodão adornada, 
Vindos do céu azul de Verão! O porte de garça
Teu, contrastava os destroços de uma barcaça!

E eu que já te admirava a uma certa distância
Qualquer pequeno passo fazias com elegância!
E quando o espelho de água raso se ondulava 
Teu corpo em consonância no espelho dançava!

Beleza que só nas coisas simples se encontra
Na Natureza, como na subtileza duma montra!
Fotografei-te no meio de toda aquela emoção...

Aproximei-me de ti com muito amor no coração!
Olhei de frente para os maravilhosos olhos teus, 
Onde vi com surpresa bem refletidos os meus...

Abracei-te...
Beijei-te...

O espelho de água ondula os andamentos
Mas agora ao ritmo dos nossos movimentos, 
Sendo desta vez a dança, uma valsa a dois; 
O ritmo era ditado pelos nossos sentimentos,
Que a Natureza presenciou... logo depois!...

30 de agosto de 2018

TREJEITO



© Lúcia Ribeiro

VENTOS DE MARÉS...


Imagens do Mar


Ventos de marés...


Sob um Sol escaldante
Procurei o teu amor
Que beleza de instante
Ao colher o seu calor

Estava a aurora a nascer
E o Astro-rei com ela
E a vida a acontecer
Contigo, coisa mais bela

Não há frio que me pegue
Quando a teu lado estou
Esse vento que me persegue
É aquele que a gente amou

Quero-te vir a resgatar
Quero tirar-te todo o frio
Não te quero assombrar
Quero mergulhar no teu rio

Esse rio marginal
Que é um diabo à solta
Desagua num braço especial
É no mar e jamais volta

Ouço o teu marulhar
Quando entro por ti adentro
Fustigas-me no teu amar
E em ti logo me tento

Espraio assim o meu olhar
Para lá do horizonte
Meus braços te vão abraçar
E meus lábios selar a tua fronte

Um beijo repleto de ternura
Ali em cima da areia
Dado com toda a desenvoltura
Tal e qual como o tenho na ideia

Quero amar e ser amado
Assim com aqui digo
Passar esse momento a teu lado
Ouve bem, sou teu amigo!

© Armindo Loureiro

24 de agosto de 2018

AO MAR VENHO FALAR-TE, MEU AMOR


Imagens do Mar


Ao Mar venho falar-te, meu amor


Ao Mar venho falar-te, meu amor,
No sal das ondas, vida que é nascê;
O Sol pleno a raiar, bocas mercê
Do marulhar das línguas, o fervor;

Olho a maré repleta de paixão,
Ávida de desejo dos teus beijos
Respiro o odor do vento, o coração
Embalo na nossa canção aos seios.

O nosso Universo estilhaça o luar
Nas gondolas suculentas, o todo,
A plenitude do nosso olhar.

Ao Mar venho falar-te, meu Amor,
O quão paraíso é o nosso Mundo
E a quão paixão que é a nobre flor.

© Ró Mar

LEMBRA-TE


Imagem: Google


LEMBRA-TE


Lembra-te
Que não tens a vida inteira
Para conquistar o meu coração...
Lembra-te
Que viver, é passar esta fronteira
Entre o amor e sedução,
Num dia, posso chorar por ti
Noutro, gritar que não te quero
De manhã, calar a verdade que omito
De noite, gritar que te espero
Lembra-te então
Que a vida é uma rasteira
E se, não conquistares hoje o meu coração
Talvez, nunca mais saltes esta barreira
Talvez, amanhã já não exista uma razão
Que explique este amor
A paixão, pode não esperar por ti
O desejo, pode perder a cor
O sonho, pode já ter acabado
Ou então, eu posso esquecer o que senti
Fazendo deste amor passado
Lembra-te
Que eu não tenho a vida inteira
Para amar-te
Porque esta paixão, pode ser passageira...

© Angela Caboz

20 de agosto de 2018

UMA ROSA PARA TI


Imagem: Bellissime Immagini 


UMA ROSA PARA TI


Colhi p’ra ti amor linda rosa
Das que nascem à beira dos caminhos,
De beleza exaltada, tão formosa,
Repleta de perfume e de carinhos.

É vermelha e tão púrpura, sedosa,
De aromas ancestrais, qual rosmaninhos
Dócil, angelical e tão garbosa,
Cerne de um grande amor com pergaminhos.

Uma rosa de amor tão revestida
Que fala do melhor da nossa vida,
Com ênfase, ternura, linda flor.

A rosa que colhi de madrugada
Ainda sorridente e orvalhada,
Simboliza a pureza deste amor.

APRECIANDO A NATUREZA


Arte de Vladimir Volegov


APRECIANDO A NATUREZA


Amor: vem comigo para a rua;
Veste tuas roupas mais belas,
Vamos minha querida ver a lua
Quero dar-te ramos de estrelas!

Vamos só os dois ouvir o som
Da folhagem batida pelo vento,
Que nos causa sempre emoção
Quando entre nós há sentimento.

Lá, vou-te entregar minha alma
Que tem guiado a minha vida!
Beijo as tuas mãos miraculosas,

À luz do luar, e a inspirar calma; 
Quero que tua voz seja ouvida,
E que caia uma chuva de rosas!

© Alfredo Costa Pereira

9 de agosto de 2018

DE UM OLHAR


Foto: Imagens do mar


DE UM OLHAR


Olhei o mar, beijei o luar.
Assim, vestiu-se-me o peito de ar,
senti p´lo lábio desejo de amar.

Surgiu o abraço p´las colinas.
Assim, banhou-se-me o coração,
senti o céu rente às meninas.

De um olhar p´ra lá do beijo.
Assim, p´la corrente de um mar,
P´ra junto de língua singular.

Quão salgado o meu desejo!
Assim, escrevo parte do dia,
alguns chamam-o de poesia.

Olhei o mar, absorvo a sensação.
Assim, sinto que há verbo amar,
há outro beijo de um olhar!

© Ró Mar

8 de agosto de 2018

PARA LÁ DO MAR...


Imagens do Mar


Para lá do mar...


Pés descalços sobre a areia
E a mesma a se sentir
É a praia que tens na ideia
Com as ondas a surgir

Despes-te de preconceitos
Vais na onda do teu (a)mar
Vogas com todos os jeitos
És uma Sereia a se gostar

Ouço o mar a murmurar
Sussurros bem audíveis
Naquele belo marulhar
Sobre corpos tão sensíveis

É o mar e a maresia
Onde eu colho teu olhar
O qual me dá sua alegria
Num momento de se amar

De repente vais na vaga
Nessa vaga amorosa
E eu espero que o mar te traga
Para mim mulher formosa

E vens na tona da água
Com teus cabelos a ondear
E crias em mim grande mágoa
Por ali não te poder amar

Vejo-te a ser levada
Para lá do infinito
Choro por ti ó amada
E acabo por dar um grito

Um grito de desespero
Por não te ver a vir a mim
É aqui que eu te espero
É de ti que estou afim

© Armindo Loureiro 

SEDUTORA


Imagem: Amar e ser amado sempre


SEDUTORA


Teus lábios me provocam, sedutora,
Acendem meus desejos, sem pudor,
Tens um porte de musa e de senhora,
Despertas o meu ego sonhador.

Tua imagem me preenche a toda a hora,
És deusa sedutora, meu amor,
Agora esta paixão, que me devora,
É fogo que arde em mim, devastador.

Sentir o carmesim dos lábios teus,
Acariciar os seios que são meus,
É transformar o sonho em realidade.

Adormecer sorrindo em tua boca,
É dar outro sentido à chama louca,
Abrindo larga porta à f’licidade.

© Abílio Ferradeira de Brito

2 de agosto de 2018

SOU TUA, MEU AMOR, SOU EU!


Pintura de Joseph Mallord William Turner


“SOU TUA, MEU AMOR, SOU EU!”


Na mente da fantasia, criei uns sonhos de magia
Á meiga luz do luar, quando a brisa conta segredos
Aos arvoredos, indo após beijar o mar nos rochedos!
Criei-os com harmonia naqueles instantes de valia,

De silêncio e meditação quando as estrelas seduzem,
E quando os lábios traduzem as vozes do coração.
Vejo sob o luar sereno uns olhos de morena reluzem! 
Olhei extasiado com um sentir abrasado de sedução...

Os olhos morenos falaram uma sublime linguagem
Comprovada pelos segredos que a brisa me deu,
Tal como aos arvoredos e a toda a sua folhagem!

E penso que nunca ouvirei outra vez na minha vida
A voz mais terna e sentida, a voz da minha querida
Dizer-me com fervor: “sou tua, meu amor, sou eu!”

© Alfredo Costa Pereira  

[AMO TE]


Imagem - Temps i amor per tu 


[AMO TE]


Tenho cinco letras para ti
em mão cheia de saudade
citando a beleza de um rubi
que vi em tempos de mocidade.

Quando penso em ti
penso como a natureza, 
penso em ti como a natural beleza
que tem a sensação que senti.

O pôr do sol germinou ali,
poema de uma só palavra [amo te]
porque te sinto desde que te vi
até aqui [o meu coração guarda-te].

© Ró Mar

31 de julho de 2018

QUE BELEZA DE PERNAS...


 Imagem: Amar e Ser Amado


Que beleza de pernas...


A praia não está deserta
É o que vos posso dizer
Boa perna me desperta
São boas pela certa
E me dão o seu prazer

Quem me dera a teu lado
Nessa praia de branca areia
Para te cantar o meu fado
Para outros um grande brado
O fado que tenho na ideia

És bela e eu gosto de ti
Tanto, que nem sei dizer
Nessa praia o que senti
É que na ideia jamais menti
Tens um corpo de se ver

Um corpo tão bem feito
Que me dá o seu prazer
De o olhar fico sem jeito
Tal é esse teu preceito
Mas continuo a o querer

E tu que assim me desafias
Tapa lá as tuas pernas
E de mim jamais te rias
Na beleza dos belos dias
Ou pelo menos destas cenas

Ai meu Deus o que eu digo
Valha-me que ninguém ouviu
Olham só para o seu umbigo
Eu que sempre fui teu amigo
Minh’alma foi isso que sentiu!

AQUELE TEU MEIGO OLHAR


Imagem do Google


AQUELE TEU MEIGO OLHAR


Já ronrona o motor, do pequeno avião; 
Com telas ao sol lá começa a descolar,
E com ele nós ascendemos, a imaginar
Ficar só os dois naquela azul amplidão!

A manhã é divina de um azul virginal;
Como se eleva ao céu fugindo da terra
Em ascensão serena como a águia-real
Sugada por térmica em cima de serra!

E num devaneio pusemo-nos a sonhar
Nas alturas onde a terra parece queijo;
Tudo se enflorou naquele meigo olhar!

No meio do céu com o avião a planar
Em piloto automático demos um beijo.
Durou até à hora de termos de aterrar!

Alfredo Costa Pereira

28 de julho de 2018

A MAGIA DA 'GEOGRAFIA'


Imagem : Beautiful world,nature,flowers,love and Art.


A MAGIA DA 'GEOGRAFIA'


Ele olhou para ela e ela ousou viajar
P´la 'geografia' daquele olhar
Contemplativo à sua 'geografia'

Ele compôs a canção «Sol-Mar» 
Para a conquistar e ela quis desenhar
A rosa dos ventos p´la argilosa areia.

Ele ficou contente naquela 'geografia'
E levou-a a mergulhar p´la 'geografia'
De seu mais-que-robusto universo.

Ela ficou abismada com a aventura
E ele premiou castelos em fina areia
Edificada em conchas do mar d´altura.

Ele e ela espraiaram p´la 'latitude'
Percecionando o cume em 'altitude'
Descobriram que há outra 'longitude'.

Ele e ela - o fenómeno da poesia
Momentânea que desmoronou o verso 
Aquando finou a magia da 'geografia'.

© Ró Mar

26 de julho de 2018

Não se Esgotam as Palavras de Amor


Imagem: Google


Não se Esgotam as Palavras de Amor


Quando me dizes, bom dia meu amor
muitas vezes penso e não te digo
hoje meu amor não me chamaste flor
e és sempre tão constante e conciso.

Sinto-me por ti amada e sou feliz
não esgotamos as palavras de amor
com magia mostras o teu cariz
num sorriso brilhante e sedutor.

As palavras não se vão, se há amor
quando nos entregamos com ardor
recriam-se nos dias na alegria.

Haja sol ou chova do escuro céu
mimas-me com abraços e és meu
Divertimo-nos cantando à chuva...

Maria Lúcia Saraiva

HUMANA PERDIÇÃO


obra de Charles Lenoir


HUMANA PERDIÇÃO


No teu corpo, belo, sem lei
Encontrei a minha perdição
Quando eu por amor entrei
Discreto nesse teu coração

E, depois de eu nele entrar
Perdi-me e como não sei!?
O, culpado é o verbo amar
Que no singular eu soletrei

Esta estranha combinação
Do mais ténue sentimento
Eleva para outra dimensão
O meu erudito pensamento

Magia de sublime erudição
Que no teu ser lá encontrei
Quando pequei por paixão
E no éden velho eu te beijei

Espero o divino julgamento
Que me conceda absolvição
Que não seja longo o tempo
Se obtiver uma condenação

Mas só o teu corpo sagrado
Libertou-me, aqui da agonia
De sentir-me como culpado
Antes de sonhar esta poesia

Eu, não vejo qualquer razão
Ser condenado p'la divina lei
Só, porque por tua sedução
O, teu corpo de mulher amei.

Joaquim Jorge de Oliveira

14 de julho de 2018

DEIXA-ME PÔR A MÃO...


 Bellissime Immagini 


Deixa-me pôr a mão...


Com uma mão no teu peito
Despertas o meu olhar
E até fico sem jeito
Ao ver tão belo preceito
Que é o que quero amar

Um peito tão perfeito
A olhar para o céu
Nota-se não tem defeito
Meu olhar eu o ajeito
Eu gosto de o ver ao léu

Dá-me teu peito a beijar
Deixa-me pôr a minha mão
Um dia quero com ele brincar
E também o degustar
Acabar com a minha ilusão

Vejo-o desta maneira
Quero-o só para mim
Faz comigo uma asneira
Uma bela brincadeira
Que eu gosto de ti assim

Ai amor o que eu digo
Quando vejo as tuas curvas
Queria ser esse teu amigo
E tu me chamasses querido
E eu ficasse com vistas turvas

Armindo Loureiro

AINDA GOSTO QUE ME HABITES


Imagem : Google


AINDA GOSTO QUE ME HABITES


Numa eclosão de sentimentos
Engulo a saudade
E em surdina chamo por ti
Como se o teu amor tivesse
Outro nome no teu nome
Envolvo-me num doce sonhar
Junto a este mar 
Poetizando em devaneio 
Dissimulo meu pranto
Nas palavras não ditas
Que dançam ao som do vento
Gaivotas pairam sobre o mar
Tão azul... Tão sereno
Entrego-me à saudade com tal intensidade
Numa eloquência delirante 
Que me enfeitiça a alma
E… Ainda gosto que me habites!
Se um dia me quiseres encontrar
Procura-me junto ao mar…
Aquele que era “nosso” refúgio
E nem dávamos conta
Do tempo, das horas passar
E em gotas de suspiros
Num beijo calado, roubado 
Abraça-me...
Veste-me com véu fulgente de sonhos
E ama-me... Ali...
No silêncio do meu grito
Ainda gosto que me habites!

Lurdes Rebelo

23 de junho de 2018

DEITAMO-NOS NA VERDURA DA ENSEADA


Imagem: Google


DEITAMO-NOS NA VERDURA DA ENSEADA


Com a frescura de uma rosa orvalhada
E com arrepios de uma mulher beijada,
Com os olhos sedutores minha amada,
Deitamo-nos nas verduras da enseada!

Que maravilhas vejo, olhando para ti!
Começa a cair a noite, a lua vai subir;
Altura de me dares o beijo que te pedi,
O qual sem eu contar acabou por sair!

Quanta ternura tens na alma carinhosa,
Nos olhos e rosto de mulher formosa!
Por toda a parte o largo luar se anima,

E na sombra da noite apagada do luar
Vejo relampejar de teus olhos a brilhar
Os desejos de me cativar a tua estima!

Alfredo Costa Pereira

10 de junho de 2018

AMAR É...


Imagem : Belissime Immagini


Amar é…


Amei ficar junto de ti
Jamais canso de te amar
Bate teu coração eu o senti
Quando a meu lado queres estar

A teu lado durmo descansado
Porque me sinto protegido
Por esse amor que me foi dado
E me diz palavras lindas ao ouvido

Meu sono fica tão leve
E eu acordo num repente
Quando tua alma se atreve
A me dizer estou presente

Pouco ou nada quero dormir
Quando tu te deitas comigo
És a beleza do meu sentir
Ouve bem o que eu te digo

Armindo Loureiro

7 de junho de 2018

NOITES DE PAIXÃO


Imagem: Google


NOITES DE PAIXÃO


As noites de paixão, noites pra amar,
são noites quentes, chego embriagado 
de amor, beijo-te o rosto, extasiado,
meu corpo é chama p’ra te idolatrar.

Conheço o meu desejo e vou-te amar,
sem saber se é nobreza, ou se é pecado.
Vou fixar-me, em teu corpo, ser arado 
fecundante e o teu húmus germinar. 

Nos montes a poalha vai passando
como a noite, a teu seio vem chegando
mais vaidosa que terna, p’ra nos ver.

É vaidade, a nudez que revelamos,
dementes, entre abraços nos beijamos
no raiar do mais belo anoitecer.

Manuel Manços Assunção Pedro

6 de junho de 2018

SABOR A SAL


Imagem: Google


SABOR A SAL


Sempre que tu mergulhas nas águas salgadas
Envolves a pele de sal e maresia
São estas as essências há muito desejadas
Alento para a mente grafar poesia.

Teus lábios húmidos carnudos e sensuais
Extraem da minha boca um gosto melado
Ávido me calas com gestos habituais 
Saboreias-me com amor e apaixonado.

Ao longe vemos gaivotas a voar
Felizes no céu como nas ondas do mar.
Escondem os suspiros sob as suas penas. 

Nossos olhares fascinados escutam 
O mar a borbulhar melodias que encantam
Na entrega com amor são sonhos reais…

Maria Lúcia Saraiva

28 de maio de 2018

... PARA LÁ DAS JANELAS...


Imagem - Belissime Immagini


... PARA LÁ DAS JANELAS...


Leva-me para lá das estrelas
Ente o céu de um desejo teu,
Num coração de abraço meu
E vive-me para lá das janelas...

Num eterno beijar 
Troca-me os lábios serenos
Pelo teu salgado amar
E assim seremos plenos...

Num turbilhão instantâneo
Ama-me assim, mais que nunca,
Ente o céu e um desígnio momentâneo
Seremos a fonte que se junca.

Leva-me para lá das estrelas
Ente o céu de uma outra utopia,
Escreve-me pela pele a tua poesia
E vive-me para lá das janelas...

© Ró Mar

TEU CORPO


Imagem: Bellissime Immagini


TEU CORPO


Quero abraçar teu corpo Cinderela,
Ouvir cantar a musa em teu regaço,
Guardar teu lindo nome na lapela,
Fazer amor contigo num abraço.

Dançar com as meninas dos teus olhos,
Num arraial fulgente de langor,
Rasgar o teu vestido de mil folhos,
Tomar-te em meus braços meu amor.

Chamar de meus, teus seios de princesa,
Adormecer feliz nesta certeza,
Que nos vamos amar a vida inteira.

Sonharmos bem juntinhos com desvelo,
Adormecer feliz no teu cabelo,
Sabendo, que tu estás à minha beira.

Abílio Ferradeira de Brito

ONIRISMO


Arte: Kiéra Malone


Onirismo


Esta noite percorri
as longas estradas do silêncio 
(para não te acordar), 
apenas escutando a tua leve respiração, 
levando-te apenas a pureza do vazio 
e à minha chegada tudo vibrou, 
tudo se fez serenidade, 
pureza,
amor puro...

26 de maio de 2018

PELA `BELA FLOR´ DO NOSSO CASTELO


Art by Consuelo Arantes  


PELA `BELA FLOR´ DO NOSSO CASTELO


Dá-me esse teu silêncio
Num sorriso mui aberto,
Tua flor de cerejeira ao olhar,
Cinco estrelas pelos ares
E dar-te-ei o sonhado beijo
Que entrelaçará teu cabelo
Pela `bela flor´ que tão desejo.

Dá-me a conhecer esse amor
Num silêncio que dê que pensar,
Tua flor de laranjeira ao lábio,
Cinco estrelas pelos ares
E dar-te-ei minha mão
Que adormecerá teu coração
Pela `bela flor´ a teu jeito.

Dá-me esse teu silêncio
Num sorriso mui aberto,
Tua flor-de-lis ao peito,
Cinco estrelas pelos ares
E dar-te-ei meu coração
Que será mestre astrolábio
Pela `bela flor´ do nosso castelo.

© RÓ MAR