20 de fevereiro de 2016

AMAR É QUERER TER ASAS E SOBREVOAR


Art by Willem Haenraets


AMAR É QUERER TER ASAS E SOBREVOAR


Amar é perceber as curvas do teu olhar;
Dedilhar toda a tua alma e beijar tua pele;
Descobrir poro a poro o doce aroma a mel;
Inventar as estrelas até ao céu e voar;

Espelhar o teu corpo de anil luar;
Povoar o coração de olor impar;
Acreditar que o tempo parou para nós
E ousar declamar toda a poesia de nós.

Amar é querer ter asas e sobrevoar
Até onde jamais imaginamos que iriamos!
Rodopiar, enfrentar o horizonte e continuar
Em espiral até ao toque prazeroso que contemos.

Dois amantes que no silêncio de olhares
Difundem, a lanterna vozeirante,
Que encarna almas loucas e similares,
Delira de paixão e toca baladas a clarinete!

Somos nós, corpos suados e despenteados,
O leito em desalinho e as mãos coladas;
Una alma e coração! E, o tempo são feriados
Que nos vestem de vidas desejadas!

© RÓ MAR


19 de fevereiro de 2016

O TEU BEIJO




“O TEU BEIJO”


 O beijo que me deste com furor,
Feito de muita raiva e desejo
Indelével textura de um amor
Que não se satisfaz com um só beijo.
 
Mergulho insano e cheio de calor,
Que este meu coração mudou de arpejo,
Feliz nesses teus braços, sonhador,
Ao ver-te tão rendida ao meu ensejo.
 
Com dobres a vibrar em nossa vida,
Diante da paisagem colorida,
Encenamos o bom que a vida tem.
 
Comemos a maçã e do prazer
Fizemos nosso sonho renascer,
Juntinhos meu amor, como convém.
 
Abílio Ferradeira de Brito

17 de fevereiro de 2016

QUASE BEIJO...




Quase beijo...
 

No aconchego do calor de dois corpos
unidos e estreitados num abraço 
em troca de aromas de duas peles 
veladas pela roupa que as cobre...

Na ternura de dois olhares
que se cruzam
e se fixam intensamente, 
palavras silenciadas
por serem supérfluas
duas bocas aproximam-se 
dos cálices onde as línguas
se preparam para valsarem 
nos salões da volúpia e 
no ultimo segundo
os lábios encostam-se em casto beijo,
onde a ternura impera, 
ficando-se apenas por 
um quase beijo...

Hamilton Ramos Afonso
 

6 de fevereiro de 2016

RESPIRO… QUE ME RESPIRAS




RESPIRO... QUE ME RESPIRAS



Hoje, respiro, o dia... que me respiras
Orgulhoso de teres na mão a flor, de beleza,
Que cuidaste no teu jardim! Suspiras
Frescor do dia pela tua alma de certeza!

Hoje, respiro... que me desabotoas a alma,
Perfumando o teu habitat com todas as pétalas,
Que cobres de beijos o chão, a cama
Dos desejos, em muitas outras falas!

Hoje, respiro... que me desenhas, com clareza,
À semelhança de uma natureza querida,
Que me respiras pelos poros da pele de certeza!

Hoje, respiro... o dia, que respiramos outra poesia!
Sinto que a utopia é real, versos de vida!
Sinto-me mulher em toda a geografia!

© RÓ MAR

O ESCULTOR DO AMOR




O ESCULTOR DO AMOR 


Esculturei o teu lindo corpo de violão
Com as minhas mãos ansiosas de prazer
Compus com meus dedos uma bela canção
Especialmente feita só para você

Arquitetei sonhos fantásticos e impossíveis
Fui construindo um admirável mundo fabuloso
Um castelo cheio das coisas mais incríveis
Personificando um amante quente e ardoroso

Fantasiei uma noite totalmente inesquecível
Ouvindo a tua voz sensual suavemente
Criei momentos agradáveis instantaneamente 

O teu rosto tem uma luz indescritível 
Que ilumina de maneira incalculável
O nosso insensato desejo insaciável 

Arilo Cavalcanti Jr. 
 

AMAR...À BEIRA MAR !!!...




" AMAR...À BEIRA MAR !!!..."


Encontrei te naquela noite !...E com paixão,
Enlacei-te nos meus braços com carinho !...
Voámos juntos numa nuvem de algodão;
Em busca do Amor...no nosso ninho !...

Parámos para escutar a voz do vento,
E Inalar o doce perfume das flores...
Olhar as nuvens a correr p´lo firmamento,
E a Natureza qual paleta de mil cores !...

Sentimos o salgado cheiro do mar...
E as ondas a beijarem com espuma !...
Fomos banhados p´la prata do Luar..
E envoltos num lençol feito de bruma !...

Um casal de gaivotas veio espreitar;
Nossos corpos deitados na fina areia...
Jamais tinham visto alguém Amar;
Como se fosse o mar a vibrar na maré cheia !...

Após aquela noite regressámos...
Mais felizes...e mais forte nosso Amor !...
Essa noite maravilhosa que passámos...
Fantasias !...dum poeta sonhador...

António Joaquim Alves Cáudio

AMANHECESTE-ME




AMANHECESTE-ME

 
Amanheceste-me,
nos braços da saudade,
com a tua pele de encontro
ao meu corpo
a tua cabeça encostada 
ao meu peito…

Amanheceste-me,
no pensamento, 
forma de mitigar
a ausência de ti,
da distância que nos separa,
e que paradoxalmente
serve para solidificar 
o amor que em nós nasceu
e floriu com as fortes cores
da paixão…
 
Hamilton Ramos Afonso

Em, « Amor como o primeiro...», Chiado Editora, 2015

UMA LEMBRANÇA




UMA LEMBRANÇA


Entrei no quarto com a luz 
apagada. Corri a sombra 
por trás da cortina e
a brisa da tarde entrou pela janela. 
Emanava o perfume das roupas
que jogaste ao chão. 
Mudo, entreguei-me ao momento esperado.
Palavras dispensadas
sorrisos parados no êxtase 
dos desejos mantidos em segredo.
Intimidade total.
Tarde entregue ao sabor do privilégio
de um amor sem fronteiras
quando a noite começava.
Desponta o dia
abrem-se as cortinas
embrulho aquela lembrança
e levo-a comigo.

Fernando Figueirinhas

ALEGRE DESPERTAR




“ALEGRE DESPERTAR”


 Quero acordar feliz na tua cama,
Sentir o teu pulsar, o teu calor,
Como é bom abraçar a quem nos ama
Na teia do prazer, curtindo amor.

Enquanto que há em nós acesa chama,
A vida tem beleza e esplendor,
Viril é o desejo que se inflama
E nos enche de ânsia com furor.

Eu quero amanhecer na tua trança,
Sentir em mim teu corpo que balança
E ver a luz sublime desse olhar.

Unir a minha boca com a tua,
Acarinhar teu rosto à luz da lua
E ouvir cantar as musas ao luar.

Abílio Ferradeira de Brito