29 de setembro de 2015

SOBRAM-ME OS GESTOS...


Imagem - Paulo Laureano & Su Etbs Muitas Artes



SOBRAM-ME OS GESTOS...


Já me faltam as palavras...
para te dar notícias do meu amor
gastas que estão na sua exiguidade
o verbo exaurido de tanto o usar
adjectivos esgotados para o quantificar

Ficam-me os gestos
tão mais eloquentes
as mãos para te acariciar
os braços para te acolher suavemente
cabeça encostada ao meu peito
corpos frementes de desejo
alapados abandonando-se ao doce langor
mistura de desejo e bem estar
lábios que se procuram e desfloram
na volúpia do beijo salivado

A ternura suprema de descansar
a cabeça no teu colo
os teus delicados dedos 
em volúpia acariciando-me o rosto

Faltam-me as palavras para te confessar amor
mas porque usar as gastas e repetidas
palavras se os gestos inesgotáveis
são bem mais eloquentes... 

 Hamilton Ramos Afonso

O SEXO...ÊXTASE IMUTÁVEL


Imagem – Sensuality


O SEXO...ÊXTASE IMUTÁVEL


O sexo é elemento fundamental
Ao perfeito estilo e equilíbrio à vida;
Tomado em doses diárias de valor sentimental,
Tão quente e forte quanto café, não há dúvida

Que desperta corpos e liberta almas;
Em taças dotadas e aromatizadas
De essências várias e excessivamente calmas
Que replicam infinitos de longas caminhadas.

A vida sem sexo não tem menor graça;
Os órgãos genitais são aquela extrema vida
Que acarinhamos, sempre compreendida,
Para que o coração ritme em plena praça;

São as tais estrelas férteis e essenciais
Que ao copular rebolam mananciais;
A inocente loucura de centímetros
Que planeia eternidades de tantos quilómetros.

O sexo é complemento, exorta vício,
Abona qualquer sensação perene e saudável;
Tal como o tentador café, nosso ócio,
Que se degusta em êxtase imutável.

® Maria Pessoa
(pseudónimo)

24 de setembro de 2015

AS TUAS MÃOS


Imagem - Google


" AS TUAS MÃOS "


 
Correndo plo meu corpo devagar,
Suaves, delicadas no tocar,
Que nem sei se são mãos ou se são rosas.
 
As tuas mãos amor, são mãos ditosas,
Que levam minha alma a levitar,
Que eu em êstase fico a meditar
Se haverá outras mãos mais primorosas.
 
As tuas mãos as minhas mãos beijando,
Se cruzam com odores exalando,
Se mostram na nudez de cutis fina.
 
Tremulam os teus dedos de abadessa,
Querendo merecer o que mereça
A mais nobre e fiel fémia latina!
 
Abílio Ferradeira de Brito

18 de setembro de 2015

PASSEI A NOITE NOS VENTOS DE UM SONHAR


Imagem - Sensuality in Art 


PASSEI A NOITE NOS VENTOS DE UM SONHAR


Passei a noite enlaçando os fios de meu cabelo
Enquanto meu loiro gato dormia em fino leito;
Pensei que podia dar-lhe o sonho mais que perfeito
Enquanto minhas tranças cochilavam em seu pêlo.

Passei a noite em volteio de ondas sem conta
Enquanto imaginava que o tinha em meu abraçar;
Pensei que podia minha noite ser estrela de planeta
Enquanto a íris de meus olhos tivesse alma para amar.

Passei a noite galgando os degraus de um pentear
Enquanto meu loiro gato pulava o telhado;
Pensei que podia dar-lhe o jardim doce de meu lar
Enquanto o céu de meus lábios tivesse molhado.

Passei a noite nos ventos de um sonhar
Enquanto imaginava que podia ter o amor de meu gato;
Pensei que podia ter as sete vidas para amar
Enquanto o coração não se sentisse farto.

® RÓ MAR

QUANDO TE AMO


Imagem - Emozioni di Stelle

QUANDO TE AMO


Quando te amo esqueço-me de mim.
Quando te amo, mais do que tudo,
é saber-te feliz.
Não, não é em mim que penso, mas em ti.
Meu maior prazer é ver que te faço feliz
quando só te procuro.
Pouco me basta, porque muito tenho,
quando me recebes em ti.
Lá, dentro de ti, repouso,
protegido do descaso.
É o teu querer franco e aberto
que me atrai ao encontro
para perto de ti!

Fernando Figueirinhas


NÃO SEI


Foto - Madga


NÃO SEI


Não sei.
Não sabe ninguém
como incendiar o reflexo no espelho
quando estamos num quarto
a sós.

Não sei.
Não sabe ninguém
que o que parecia morto
está vivo
e domina o que não digo.

Não sei.
Não sabe ninguém
que sabor surge oculto
pois vem de dentro
como um vulto.

Não sei.
Não sabe ninguém.
que tenho sede dos teus lábios.
Tudo por causa do fogo
descomunal e
inadmissível
que me consome.

Não sei.
Não sabe ninguém.
que sou uma marinheira naufragada
num oceano de labaredas,
a esgotar os meus últimos
sopros de vida.

Não sei.
Não sabe ninguém
que somos uma gota
de desejo
impenetrável
nos corpos alheios.

Não sei.
Não sabe ninguém
que de cada vez
que a boca nega,
o corpo trai-me
e caio na minha armadilha.

Não sei.
Não sabe ninguém
que danço nas tuas mãos
quando te manténs vigilante
na minha insónia.

Não sei.
Não sabe ninguém
que apenas me pedes
penetração
sem palavras.
Por isso não escreverei
mais poemas.

Já não haverá regresso
nos meus passos.

Ana Pereira

 

17 de setembro de 2015

SEM A DITADURA DO TEMPO...


Imagem - Google


Sem a ditadura do tempo...


Horas a fio a falar contigo,
sem dar conta do escoar do tempo, 
descontraído e bebendo as palavras, 
antevendo a luz que se apodera do teu rosto,
sem a tirania do relógio a cortar-nos as asas
ao encanto...

Ouço-te rir com despudor
sempre que a conversa se desvia 
para temas que dizem respeito ao futuro,
um futuro que ambos queremos seja nosso,
donos que somos das nossas vontades, 
sem nos incomodar os que 
possam censurar-nos...

Que insensatez a daqueles
que nos criticam por termos esta cumplicidade,
por gostarmos de saber um do outro,
para nos encantarmos 
no fluir fácil das palavras,
que nos desnudam de forma mais clara
e cristalina, do que se estivéssemos
em frente um ao outro,
sem qualquer peça de roupa...

Minha querida, sabes bem 
como é gratificante desnudar-te
a minha alma, sem estar preocupado
com a ditadura do tempo, 
nem me preocupar com a censura 
dos que não sabem amar...

E quando, finalmente 
desligamos e nos desejamos, 
um ao outro o melhor
que nos queremos, 
então, 
damos conta do muito tempo 
que estivemos a falar 
sem darmos conta do tempo 
a passar...

Aí eu digo-te quase a ciciar,
bendito seja o teu feitiço, 
minha querida feiticeira...

Hamilton Ramos Afonso

In "Amores em Terra de Bruma e de Lava"

ONDE TU ÉS PARTE DO PALCO EM QUE SOU TAMBÉM


Imagem - Tu chiamale emozioni III 


ONDE TU ÉS PARTE DO PALCO EM QUE SOU 

TAMBÉM


Encontro-me aqui bem perto de mim,
Onde há madressilvas em jardim;
Onde o tempo dá horas em canteiros de luz;
Onde sou alva senhora e dona de uma cruz.

Encontro-me aqui tão longe de ti,
Onde há entrelinhas que chegam a ti;
Onde o silêncio irrompe o horizonte;
Onde és bravo senhor e escravo de uma ponte.

Encontro-me aqui perto e equidistante,
Onde eu sou eu e onde tu és tu mais além;
Onde a firmeza do olhar é alma mais que presente;

Onde há natureza amazona em meu ser;
Onde o ar é sobranceiro a secundário parecer;
Onde tu és parte do palco em que sou também.

® RÓ MAR

BRINCADEIRAS DE NAMORADOS


Arte de Rolf Armstrong 


“BRINCADEIRAS DE NAMORADOS”


Se em teus lábios deponho um beijo
A tua boca por vezes hesita, receosa;
E penso que esse gesto de medrosa
Traduz uma repulsa ao meu desejo!

Mas, deixando a tua boca eu logo vejo
A sorrir-se para mim, alegre maliciosa,
Tão doce, sedutora, fresca e amorosa;
Com o teu olhar travesso e malfazejo...

Se o meu amor, querida, te desagrada,
Porque razão quando eu fujo de te ver, 
Logo me procuras febril e perturbada?

Não sei o que há em alma enamorada!
Não percebo qual é a tua ideia sequer!
Só sei que gosto muito de ti, mulher!

Alfredo Costa Pereira

CORAÇÕES AMANTES





CORAÇÕES AMANTES



Meu coração plo teu apaixonado,
Nesta ânsia de entrega sem igual,
Tudo o que vem depois é tão normal,
Como a chuva, que cai sobre o telhado.

O amor é paixão que nos abraça,
Renasce em cada dia, é divinal,
É ele o carburante natural
do fogo que nos queima e nos trespassa.

É feliz quem no peito sente a chama,
Que dá força e vigor para quem ama,
Dando à vida mais brilho e harmonia.

A onda é tão profunda e tão intensa,
Que nada mais existe, o amor condensa
E explode no prazer e na alegria.

Abílio Ferradeira de Brito  

A TERNURA DE NOVO...


Imagem - Google

A ternura de novo...


De novo o meu colo acolhe-te a cabeça
que repousa languidamente,
com o teu rosto iluminado
pelo sorriso ladino e gaiato 
que me seduz, de olhos bem abertos
que namoram descaradamente os meus,
e que são um convite para as minhas mãos
te despentearem os cabelos, desfazendo caracóis, 
alisando as madeixas mais rebeldes 
acariciando-os, com a ternura que volta a ser toda tua...

Hamilton Ramos Afonso

ÉS COMO O VINHO MOSTO...


Imagem- Endre Balogh Kompoczi - Sensuality in Art


És como o vinho mosto…


É nas tuas faces rosadas
Que se vislumbra algo mais
Tuas palavras são ousadas
Num amor que é por demais
Teu amor intermitente
Vejo-o dessa maneira assim
E tu sempre bem contente
Por dessas cores estares afim
Gostas do rosado do teu rosto
Gostas de te dar às amizades
És quase como o vinho mosto
Depois de doce é só saudades
És um doce apetecível
Digo-o com grande lisura
Num amor que não é perecível
A não ser por grande agrura
Não te quero dar trabalho
Não quero ver em ti a tristeza
Eu sei que para ti nada valho
Mas sei alegrar a tua natureza
São palavras sentimentais
Que me brotam do coração
Ris-te para não dar ais
És um astro em ebulição
Gosto de ti porque gosto
E mais quando estás a ferver
Logo a mim eu te encosto
És a beleza que me dá saber
Sabes-me bem podes crer
Tens uma doçura especial
Quando dentro do teu ser
É que eu sei que não há igual
Continua a ser quem és
Diz-me sempre tua verdade
Na verdade sempre se fez
O que em nós deixa saudade

Armindo Loureiro


16 de setembro de 2015

O MEU CORAÇÃO ESTÁ PRESENTE EM SEU SER


Imagem - Bellissime Immagini 


O MEU CORAÇÃO ESTÁ PRESENTE EM SEU SER


O meu coração está intermitente em suas mãos;
Cuide dele pelo borbulhar sensível de sua pele,
Como de uma singela flor, em olhos perfumados
De uma eterna amizade que singra mel.

Rubro é o seu encanto que faz respirar 
As pétalas esquecidas em meu ser;
Fermosas são suas mãos que quero abraçar
Versejando o amor que há a acontecer.

O seu estar tem uma meiga e serena paixão
Que sonha segredar-lhe todo o universo
Em aromas fraseados de um azul imerso.

O meu coração está presente em seu ser;
Cuide dele pela raiz para assim colher
Todo o amor que não cabe em minha solidão.

® RÓ MAR

RÚBIS...





Rúbis...


Tenho um sonho...
e espero um dia 
se transforme em realidade
o de gritar, 
numa praia a plenos pulmões 
o amor que por ti tenho
e ver, deliciado
nascerem dois belos rúbis 
em teu rosto,
um em cada face... 

Hamilton Afonso

In "Amores em terra de bruma e de lava"

CURVAS DO DESASSOSSEGO...


Imagem - Sensualidade


Curvas do desassossego...


Nas curvas da tua estrada
Eu me sinto a deslizar
Às vezes dou uma topada
Na margem que me queres dar
Dou topadas e topo tudo
Na via que em ti percorro
Às vezes até fico mudo
Mas jamais peço socorro
São curvas tão diferentes
Que eu gosto tanto de ver
As da frente tenho presentes
Em velocidade de cruzeiro, que prazer
Gosto desse belo andar
Em que as curvas sobressaem
Tu és tudo o que quero amar
Derrapo nas curvas que me caem
Consigo meter a prise
Mas gosto mais da primeira
Que não advenha nenhuma crise
Deste tipo de brincadeira
Faço as curvas e as desfaço
Com apenas um olhar
És o veículo do meu abraço
Se em ti eu possa andar
Quero assim te percorrer
Quero sentir as curvas todas
Nem queiras saber o prazer
Quando as curvas têm rodas
E se elas rodam para mim
São curvas do desassossego
Pois no sonho estarei afim
Dessas curvas e seu enredo!

Armindo Loureiro 

15 de setembro de 2015

O SOM DO CORAÇÃO...


Imagem - Google


O SOM DO CORAÇÃO...


Quero sentir o dia amanhecendo,
E descobrir que consegui tudo que mais queria,
Você na minha vida 
O som do coração...
Estarmos juntos...
Sorrir, sorrir sem parar
Viver sem medo de cair...
Ter alguém que cuida de mim.
Eu sei que sorri enquanto me abraça,
Eu sentindo o mesmo...
Que bom, enfim nos encontrarmos
Duas estrelas dançando ao som do coração...
Destacando a certeza que à muito demorava,
Agora já sabemos de cor a letra da música.
Me abraça vamos dançar e sentir...
Nossa canção...e feche os olhos e sinta...
Que os nossos corações se tocam...

Madalena Lessa





6 de setembro de 2015

A PÉROLA


Imagem - Google


A Pérola


Tomei teus lábios
com carinho,
valsando com a
tua língua
no palco das
nossas bocas
As mãos,
frementes
arrepiam-te
a pele do
corpo
orvalhando-o
Lentamente
escorregando
como se mergulhasse
em apneia
tomo a tua
concha e
suavemente
afasto as duas
valvas e
colho em triunfo
a tua pérola 

Hamilton Ramos Afonso

 In, "Amor como o primeiro", Chiado Editora 

BASTA UM OLHAR...


Imagem- art by Russela Maggi


BASTA UM OLHAR...


Basta um olhar...
Nem é preciso lápis ou caneta 
Para exprimir o sorriso 
Que perfuma as faces a magenta 
E veste os lábios 
De tudo o que é preciso- 
Pela escrita dos sábios. 

Basta um olhar...
Nem é preciso mais para amar
É ver, sentir e tudo se reflete
À alma de coração 
Pleno de ar que se verte 
Pela tinta repleta de emoção- 
O rasgar pleno de olhar. 

Basta um olhar...
Nem é preciso escrever 
É apenas ler e viver 
Tudo o que a luz promete 
Seja verde ou não é a razão 
Que prossegue avivando o coração- 
O motivo que é viver. 

Basta um olhar...
Nem é preciso ter que falar, 
Os silêncios afagam almas às canções 
Que inventam o vento 
E vive-se pleno de sensações 
Que são a felicidade ao minuto- 
Paz e cumplicidade do momento. 

® RÓ MAR 

5 de setembro de 2015

MEMÓRIAS DO DESEJO...


Lauri Blank-Abstract- Music & Poetry


Memórias do desejo…


Subo ao cimo da serra
E de lá olho o vale profundo
Há coisas que a distância encerra
Que fazem parte do meu mundo
Vejo-as ali ao perto
Vejo-as há minha maneira
Há espaços que são um deserto
Um oásis ao meio, que brincadeira
Bebo nessa fonte
Bebo a seiva do amor
E um dia que alguém te conte
Se também colhi algum odor
E aqueles dois promontórios
Encimados por um bouquet
São para mim inquisitórios
Na beleza que ali se vê
Gosto tanto de os ver
E até de os apalpar
De os beijar ai que prazer
Quando neles me posso deitar
São memórias do desejo
Que assim vivem em mim
Apalpo e lhes dou meu beijo
Mas que belo o teu jardim
São tão belas as flores
Que de ti saem pro mundo
Propiciam os meus amores
Dum modo bem profundo
Desço a serra devagar
Atinjo esse teu vale
E depois eu vou amar
E a voz ninguém ma cale
Espraio-me na tua foz
Vejo líquidos a escorrer
Momentaneamente fico sem voz
E acabo por a teu lado adormecer
Adormeço como se quer
Num colo de tão perfeito
Nessa serra que é mulher
Onde eu fico sem qualquer jeito

Armindo Loureiro 


EXAUSTÃO...


Arte: Sergey Ryzhkov 


Exaustão...


Exaustão...
a que resulta da batalha 
de dois corpos
cujas almas se pertencem,
é um climax de prazer
que se sossega
permanecendo
no laço de quatro braços
deixando aos cuidados
das mãos a função de 
acariciar e acalmar 
das consequências
da refrega intensa 
e partilhada...

Hamilton Ramos Afonso

 In,"Amor como o primeiro", Chiado Editora

ESTOU AQUI PENSANDO EM VOCÊ…


Imagem - Roberta Charme and More 


ESTOU AQUI PENSANDO EM VOCÊ…


Estou aqui pensando em você e não o encontro,
Não que meu pensamento não procure o que sinto;
Sim porque seu extremo coração é um labirinto,
Do qual me perco sem encontrar saída.

Estou aqui pensando em você e no quanto o amo,
Não que tenha feito meu coração pleno de vida;
Sim porque o amor não tem morada certa de presença,
O qual decidiu vir morar comigo sem licença.

Estou aqui pensando em você e não o encontro,
Não que não tenha tentado perdoa-lo;
Sim porque sua alma nunca foi só minha,
Da qual quero esquecer que levou a minha.

Estou aqui pensando em você e no quanto o amo,
Não que o tempo me queira mais em sua vida;
Sim porque necessito da sua despedida,
Da qual quero levar recordação de ama-lo.

® RÓ MAR

1 de setembro de 2015

O QUE IMPORTA: QUE ME FAÇA FELIZ...


Imagem - Google

O QUE IMPORTA: QUE ME FAÇA FELIZ...


O que é importante tua presença
não importa para mim 
a cor dos seus olhos.
Não importa quantos
idiomas você fala...
não importa se é
artista plástico, poeta,
escritor, ator, músico,
professor de arte, naturalista...
se você é formado ou não em 
Oxford. Importa para mim 
sua presença...
em minha sala de visita deixando 
as flores de seu jardim mais precioso, 
que é o seu coração.
Importa que seus...
olhos brilham, poder olhar
sua alma me encanta.
Isso me importa, e fico feliz...
Quando chegar estarei 
sempre ao seu lado, és o 
amor,  quero na minha vida toda
você..que me encanta minha vida.

Madalena Lessa



SOMBRA LIVRE


Foto: Kemal Kamil


SOMBRA LIVRE


Talvez não saibas,
mas onde me deito
não há tempo.

De raiz sou feita de pedra.

Calço saltos altos.
Rendo o meu corpo
para os teus enleios.
Penteio os pesadelos
Que trago.
Pinto os lábios de cor 
rosa amargo.

Toco as sombras,
rastejando.
Os fantasmas andam na rua.
O céu por cima 
de mim flutua.

Estou para morrer.

Algo me aperta a garganta.
Sufoco atrás de cortinas 
de Palavras.
O que corre nas veias
desagua no suspiro
da voz.

Despe-me
antes de ser corpo.
Desconheço os seus refúgios
secretos.

Caem estrelas
pois quando não há sono,
renasço em ti:

Poema virgem,
nos lábios alheios,
sombra livre
da alma.

Ana Pereira


NO SILÊNCIO, O AMOR...


Imagem - Google

No silêncio, o amor...


Diz-se que é no «silêncio de um olhar que está a melhor declaração de amor »...

Há, porém, silêncios, que transportam o suave sussurrar de um amo-te...
...porque o silêncio é necessário para demonstrar a alguém que se ama...
...que há momentos em que devemos calar-nos para demonstrar o amor,
porque o verdadeiro amor não é cego,
não é surdo
e deve ser exigente
para que nunca se quebre o cimento da cumplicidade...
...e prevaleça sempre a vontade de apontar ao ser amado o que está mal
e, estando mal, pode afastar em vez de unir.

E se houver humildade de reconhecermos que não somos perfeitos,
a cada dia que passa construiremos aquilo que ambicionamos...
...um sólido afecto. 

Hamilton Ramos Afonso