18 de agosto de 2016

NÃO FALAMOS


Foto: Alicia Marie


NÃO FALAMOS 


Nunca fui reta.
Andei em ziguezague
e por vezes em paralelos.
Facilmente escorreguei.

Hoje,
olho para o espelho
e o que é faminto,
obsceno
repousa nos fios dourados
da cabeça
que não pensa.

Mastigo as palavras
que me ardem nos olhos.
Mantenho-me direita
para digerir bem
os alimentos quentes.
Dispo-me do que não faz falta.

Sento-me
e a temperatura sobe 90 graus
e do lado oposto
ficas tu e rasas tudo
sem planos inclinados.
Apenas horizontais ou verticais.
A temperatura sobe 
aos 180 graus.

Fica o corpo incandescente
que germina feito semente.
Damos um giro de 360 
no enlace.

Do chão surge a solidez
do que nos suporta.
A vida existe na
fértil humidade.

Ecoa o silêncio dos corpos.
Não falamos.
Poetizamos apenas.

Ana Pereira


2 de agosto de 2016

FESTA DA VIDA




FESTA DA VIDA

 
Duas almas
que apreendem as semelhanças
dois corpos que ardem de desejo
bailam no palco da vida 
ao som da canção do amor
descobrindo as cores da paixão
os sons e sabores da felicidade.

No fim da dança dos corpos
peles orvalhadas,
ninho de braços, em afecto se derretem
cheiros que fazem intercâmbio na pele
e as memórias de cada um ancoradas
aos céus daquelas bocas 
que ainda sugam, sôfregas, 
o mel do Amor.

Hamilton Ramos Afonso