16 de junho de 2016

NESTA HORA...


Tomasz-Rut - Sensuality in Art - Photography



Nesta hora...


Naveguei dentro de ti
Às quatro da madrugada
Que beleza que eu senti
Em ti ó minha amada

Eram quatro da madrugada
Mas podia ser noutra hora
O que importa é ser-se amada
Na hora em que a gente chora

Chorar de satisfação
Chorar com o enredo
Vem ao de cima toda a ilusão
E da paixão até tenho medo

Voltaria a tentar fazer
Amor às quatro da madrugada
Desde que sentisse o prazer
De te ter ó minha amada

Isto não é atrevimento
Mas apenas uma constatação
Da passagem dum bom momento
Em que o amor se colhe na mão

Coloco as mãos sob teu corpo
Dou-te belas espectativas
Levanta-se o que está torto
Escrevem-se belas missivas

O lápis de cor encarnada
Deixa a tinta a escorrer
Numa folha alavancada
Com o espírito do saber

Haja, pois, um bom trabalho
Seja lá às horas que for
Mesmo agora que pouco valho
Dou valor ao fazer amor...

Armindo Loureiro