3 de julho de 2015

E, AGORA ADORMEÇO EM MEUS BRAÇOS


Imagem - Sensuality in Art 



E, AGORA ADORMEÇO EM MEUS BRAÇOS


Beijaste minha boca, e silenciaste-me,
E teu carinho percorreu o meu corpo;
Dei-te meu coração de mão beijada
E adormeceu minha alma apaixonada.

Amaste-me suave e docemente
E eu tão esquecida do que era amor;
Belisquei-me, e senti que não era sonho,
Caí nos teus braços e dei-te tudo.

Dei-te a minha vida de bandeja
E tu fizeste-me sentir mulher;
E adormeceu o corpo que deseja
Outra e mais noites na tua vida.

A luz apagou e adormeci em teus braços,
Plenos de alegres cansaços e, leves
Que nem penas; e pela madrugada sonhei…
…Que as manhãs eram amendoeira em flor.

Não era sonho, estava só adormecida,
Tu a meu lado sussurravas: querida
Amo-te muito; e eu amava, loucamente,
Outra e mais vezes sem despedida.

Beijaste minha boca, e silenciaste-me,
E teu coração invadiu meus espaços;
Dei-te meu leito de mão beijada
E adormeceu o pensamento por breves…

…Palavras que proferiste: nós…; laços
Que em mim senti, tão plenos de candura,
Que me cobriam de quanta fermosura,
Outro e mais tantos dias de nossa vida.

Sonhei e vivi a teu lado, e amada fui, não!
Que importa a razão quando o pensamento
Adormeceu por breves… beijos nossos
Que agora andam pelas bocas de outro mundo.

E, agora adormeço em meus braços
Belisco-me e sinto que não é sonho.

Caio nos meus braços e falta-me tudo.

Dou a maldita paixão de mão beijada.

Dou todos meus sonhos de bandeja.

Beijo minha boca, e silencio-me,
E adormeço minha alma resignada.

® RÓ MAR