18 de julho de 2015

FRÁGIL MENINA OU SELVAGEM MULHER


Imagem - autor desconhecido


FRÁGIL MENINA OU SELVAGEM MULHER


Acorda cedinho
Floresce o dia
Na haste do desejo
É fetiche da paixão
Na arte de amar puro frenesi
As duas numa só
Se funde sai de menina
Vira mulher
Despida descalça
Joga-se nas águas geladas
Busca no mar o prazer que sufoca
Amor que esmaga
Paixão que incendeia
No mar vira sereia
Se liberta escancara
Vai além da ousadia
Quando ama é assim
Humilde amante impulsiva
Ser inteira ser eterna
Ter a harmonia das manhas
A serenata das madrugadas
O romper explosivo
De cada anoitecer
De frágil menina
Uma selvagem mulher...

Madalena Lessa