22 de julho de 2015

ENTRETANTO, A CIDADE DORME E PINTO-TE



Imagem - Gardenia by Gardenia 


ENTRETANTO, A CIDADE DORME E PINTO-TE


Entretanto, a cidade dorme e penso-te, desenho-te,
Em abajur lustrado a luz, declaro-me, em lapiseira 
Húmida de amor, calco desejo pleno e amo-te;
Sob as abas da escrevaninha traço à tua maneira;

As linhas tomam fórmulas de corpo absorto
E meus lábios embriagam-se viscosos e mordem-se;
Rabiscando pelo esquiço, em que me transporto,
Masturba-se volúpias à tela, e sinto pelos ares
Misto de sândalo, lótus, e o espaço perfuma-se.

Entretanto, a cidade dorme e pinto-te
Em mim, ogivas siderais à mão de amares.

® RÓ MAR